MatosinhosHabit convida jovens a dançar para a inclusão

Consciente da importância dos princípios da coesão social e da inclusão tem junto da comunidade local, a MatosinhosHabit desenvolveu um projeto comunitário sustentado na prática da dança. A iniciativa vai juntar jovens do Conjunto Habitacional da Biquinha e tem a sua primeira ação agendada já para o próximo dia 2 de julho.

A partir desta semana, a MatosinhosHabit vai desafiar a população infantojuvenil do Conjunto Habitacional da Biquinha a participar numa iniciativa onde a dança servirá de instrumento para a inclusão.

Em parceria com a Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos (ADEIMA), a Associação para o Planeamento da Família (APF), a Câmara Municipal de Matosinhos e a Matosinhos Sport, o início desta ação está agendado para a próxima 6ª feira (2 de julho) através de um casting que irá decorrer, a partir das 18h30, no Pavilhão Municipal da Biquinha.

Tendo como principal mentor o artista Paulo Boz, este novo projeto tem como principais objetivos “promover a mudança e a coesão social através da cooperação social de indivíduos” combatendo assim estigmas habitualmente relacionados com as minorias, procurando, por ouro lado, a adoção de hábitos de vida saudáveis junto das camadas mais jovens.

Tiago Maia, administrador da MatosinhosHabit, explica que «a ideia é reunir um grupo de crianças e jovens e desenvolver um trabalho coreográfico que tenha uma narrativa de sensibilização para a inclusão, para a promoção dos direitos humanos e para a cooperação comunitária. Pretende-se desconstruir preconceitos com base nas diferentes etnias, ajudando assim a mitigar os preconceitos existentes neste domínio, promovendo a união, o respeito e as interações saudáveis. A dança, enquanto forma de arte e de desporto, servirá como veículo de expressão para que as vozes dos participantes se façam ouvir através de uma linguagem criativa e positiva.»

«O objetivo é que esta iniciativa se traduza numa ferramenta de sensibilização na esfera das temáticas em causa e que as mesmas possam ser disseminadas por todo o concelho de Matosinhos, provocando o despertar de consciência para o comportamento individual e coletivo face à diferença», realça Tiago Maia.

Direcionadas para crianças e jovens com idades iguais ou superiores a 10 anos, o projeto será desenvolvido em diversas fases: casting com a presença do professor Paulo Aguiar (2 de julho); realização de duas aulas semanais/ensaios a decorrer ao longo de três meses, para produção da peça coreográfica; acompanhamento por parte da MatosinhosHabit; execução de dinâmicas de grupo no sentido de construir a narrativa da peça final; gravação em vídeo da apresentação; e atuações em eventos no concelho, em parceria com a Câmara Municipal de Matosinhos.