A MatosinhosHabit, no âmbito da sua política de responsabilidade social, acaba de formalizar uma parceria com a Associação para o Planeamento da Família (APF). O acordo prevê o apoio à comunidade local para questões relacionadas com o bem-estar bem como a saúde sexual e reprodutiva. Este acompanhamento está disponível para todos os habitantes do concelho de Matosinhos e é gratuito.

Tendo como um dos seus grandes objectivos o apoio e a proximidade com a população do concelho, a MatosinhosHabit aprovou a celebração deste protocolo com o objectivo de proporcionar um serviço de apoio e aconselhamento individual que ajude cada indivíduo a desenvolver respostas e estratégias na resolução de dificuldades emocionais.

«Pretendemos que as duas instituições envolvidas unam esforços em torno de um único objectivo: proporcionar bem-estar, nas suas diversas vertentes, a toda a população que dele necessite. Queremos que com este protocolo as pessoas se sintam acompanhadas e completamente à vontade para recorrer ao nosso apoio naquelas questões que às vezes podem parecer um pouco mais delicadas como é o caso, por exemplo, do planeamento familiar», declarou Tiago Maia, administrador da MatosinhosHabit

A MatosinhosHabit, juntamente com a APF, propõe-se desenvolver esta parceria junto de agregados familiares (previamente sinalizados pela MatosinhosHabit), arrendatários e outros utentes, que de forma espontânea desejem aderir ao programa, levado a cabo por uma equipa de psicólogos com formação específica na área da saúde sexual e reprodutiva.

Tiago Maia realça que «a MatosinhosHabit, para além da gestão patrimonial, social e financeira dos empreendimentos habitacionais da Câmara Municipal de Matosinhos, inclui ainda no seu círculo de atuação a preocupação com diversas outras questões sociais. Nesse sentido, o combate à pobreza, à discriminação e à exclusão social passam por isso, e também, pelo apoio psicológico e psicoterapêutico às famílias do nosso concelho.»

Neste contexto difícil e desafiante, é fundamental intensificar o apoio a quem se encontra numa situação de vulnerabilidade, nomeadamente no âmbito da saúde sexual e direitos reprodutivos, áreas habitualmente negligenciadas e que têm um impacto decisivo no bem-estar de todos sem exceção, referiu Nuno Teixeira, coordenador da APF Norte.