No passado dia 30 de janeiro, realizou-se nas instalações da AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas, a primeira sessão técnica “Construção: Que contributo para uma transição de uma economia linear para uma economia circular?”, um encontro no qual a MatosinhosHabit participou, a convite da CCDRN – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, e que reuniu um grupo de especialistas do setor da Construção com o objetivo de recolher contributos técnicos e a partilha de experiências no âmbito da Economia Circular no setor da construção. Foram ainda abordadas questões relacionadas com a operacionalidade do Plano de Ação para a Economia Circular: Que quadro de referência para um edificado circular? Que “pré-requisitos circulares”? Que “elegibilidades/tipologias de ações” deverão ser apoiadas no 2030? Quais os melhores instrumentos?

Esta sessão, desenvolvida pela CCDR-n, teve por objetivo o desenvolvimento do PAEC – Plano de Ação para a Economia Circular, aprovado pelo Conselho de Ministros em 11 de dezembro de 2017, ao nível de objetivos e ações a implementar à escala regional.

A economia circular, enquanto conceito estratégico, assenta na prevenção, redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia, substituindo o conceito de «fim-de-vida» da economia linear por novos fluxos circulares de reutilização, restauração e renovação, num processo integrado. A economia circular é vista assim, como um elemento-chave para promover a dissociação entre o crescimento económico e o aumento no consumo de recursos, relação tradicionalmente vista como inexorável. De realçar que o próximo quadro europeu de apoio prevê no seu Objetivo Temático 2 – “Uma Europa mais verde, sem emissões de carbono, aplicando o Acordo de Paris e investindo na transição energética, nas energias renováveis, na economia circular e na luta contra as alterações climáticas”.

A MatosinhosHabit e a Gaiurb foram as únicas empresas municipais de habitação presentes neste encontro.

Recorde-se que um dos objetivos da MatosinhosHabit para 2019, será o de acompanhar o esforço empreendido pela administração pública para uma operação ecologicamente sustentável.